Reserva de emergência: Saiba como montar a sua

Você sabe como montar uma reserva de emergência? Leia o artigo e confira dicas de como economizar!

reserva de emergência

Muitas pessoas não sabem, mas a reserva de emergência é extremamente importante para quem deseja evitar o estresse financeiro. Essa reserva pode ser fruto de investimentos, como no ETF do BBOI11 ou ainda em fundos de renda fixa, além da possibilidade de girar em torno de uma parcela de seu salário. Dessa forma, são muitas as possibilidades de criar a sua!

O mais importante é pensar que a reserva age como uma verdadeira rede de segurança, trazendo tranquilidade em tempos incertos. Por meio deste artigo, exploraremos tudo o que é necessário saber sobre o assunto, a fim de montar uma reserva de emergência suficiente para os seus imprevistos. 

Quer aprender as melhores dicas de como criar a sua? Então, acompanhe esse artigo até o final. Boa leitura!

Afinal, o que é uma reserva de emergência?

A reserva de emergência nada mais é do que um fundo de dinheiro reservado, especificamente, para lidar com despesas que não são esperadas, além das situações de crise, como um desemprego inesperado. As emergências podem incluir despesas médicas, reparos em casa ou problemas com o carro.

A principal finalidade desse tipo de reserva é evitar que você precise recorrer a um empréstimo com juros altos ou comprometer todos os seus investimentos de longo prazo para conseguir ter a cobertura dessas despesas.

Por que ela é necessária?

A importância de uma reserva de emergência não pode ser subestimada. Afinal, é ela que oferece mais segurança financeira para as pessoas, garantindo que contratempos possam ser superados sem que dívidas desnecessárias sejam contraídas. Além disso, obter uma reserva sólida proporcionará mais tranquilidade mental.

Como fazer o cálculo da reserva de emergência?

A pergunta mais frequente é: “Quanto devo ter na minha reserva de emergência?” A resposta varia de pessoa para pessoa, mas uma boa regra é economizar de três a seis meses em despesas de subsistência. 

Aluguel ou hipoteca, contas de serviços públicos, mantimentos e outras despesas necessárias estão incluídas.

Some todas as suas despesas mensais estritamente necessárias e multiplique pelo número de meses que deseja cobrir para chegar a esse valor. Por exemplo, se suas despesas mensais são de R$ 3.000,00 e você deseja economizar por seis meses, sua meta seria de R$ 18.000,00.

Onde manter a sua reserva?

Ainda que a reserva de emergência precise estar sempre disponível, isso não significa que ela tenha que ficar debaixo do seu colchão ou em uma conta comum. São várias as opções para guardar esse dinheiro tão necessário e ainda deixá-lo disponível, protegido contra a inflação.

Dentre as principais opções, temos:

  1. Conta poupança: uma das opções mais tradicionais, a conta poupança pode ser uma boa opção, mesmo que o rendimento seja baixo; 
  2. Conta corrente remunerada: se desejar ter acesso imediato ao dinheiro da reserva de emergência, a conta corrente remunerada é uma excelente opção, mas também terá um rendimento relativamente baixo; 
  3. Fundos de renda fixa: os fundos de baixo risco oferecem um rendimento maior do que a poupança e protegem o seu dinheiro;
  4. Tesouro direto Selic: investir em títulos públicos pode ser uma alternativa com liquidez diária e rendimentos mais atrativos que os da poupança;
  5. Money Market Funds: esses fundos investem em ativos de baixo risco, permitindo uma alta liquidez.

Passo a passo para construir a reserva de emergência

Para construir uma reserva de emergência sólida e sem grandes riscos, será necessário ficar atento aos passos abaixo:

  1. Estabelecer um objetivo: é importante determinar quantos meses de despesas você deseja cobrir com a reserva de emergência;
  2. Calcular o valor: some todas as suas despesas mensais essenciais e multiplique pelo número de meses escolhidos para descobrir quanto você precisa guardar;
  3. Criar uma conta separada: abrir uma conta específica para a reserva de emergência é uma jogada inteligente, separando-a de todas as suas outras contas;
  4. Automatizar depósitos: configurar transferências automáticas mensais para a conta da reserva pode ser uma boa estratégia para garantir que o objetivo será atingido; 
  5. Evitar gastar: usar a reserva somente para emergências reais é o mais inteligente a se fazer. Sendo assim, não utilize o dinheiro para compras não essenciais;
  6. Repor após o uso: se for necessário usar a reserva, reconstrua-a o mais rápido possível seguindo todas as regras anteriores.

Você também pode se interessar por: Fluxo de Caixa: 8 dicas para o seu negócio

Reavalie e atualize a sua reserva

A vida está sempre cheia de dinâmicas e as circunstâncias da rotina das pessoas podem mudar drasticamente. À medida em que os avanços acontecem em sua carreira, família ou outra área, os gastos começam a mudar. 

Por isso, é preciso reavaliar a reserva de emergência. Periodicamente, verifique se o valor anteriormente estabelecido ainda é o mais adequado. Uma reserva de emergência é um verdadeiro alicerce para quem deseja ter mais saúde financeira. Afinal, uma boa reserva financeira pode trazer paz de espírito, evitando endividamentos desnecessários, além de permitir que qualquer pessoa lide com as incertezas que podem surgir no caminho de uma forma totalmente segura.

Quer saber mais sobre finanças? Acompanhe nosso blog e fique por dentro das notícias e novidades!

Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Ícone Facebook Ícone Twitter Ícone LinkedIn Ícone WhatsApp
Escrito por

Especialista em marketing, fã de Taylor Swift e apaixonada por boas histórias.

Deixe seu comentário

Talvez você goste também

imagem de um cheque e dicas de como cobrar um cheque
Ícone Relógio 6 min de leitura

Como cobrar um cheque?

Ler Mais
veja como cobrar um cliente
Ícone Relógio 5 min de leitura

Como cobrar um cliente?

Ler Mais
principaiserros
Ícone Relógio 4 min de leitura

Conheça os 5 principais erros de gestão financeira e como evitá-los!

Ler Mais
↑